literaturarussa

A falta de liberdade não consiste jamais em estar segregado, e sim em estar em promiscuidade, pois o suplício inenarrável é não se poder estar sozinho. Fiódor Dostoiévski #filosofia #filos #sofia #fiodordostoievski #dostoyevski #literaturarussa #literaturafilosófica #mg #beagá #antestardedoquenunca #psicologa #onedirection #psicologaconcurseira #have #belohorizonte

Joseph Brodsky - Sobre o exílio Falar sobre as mazelas do mundo é como fazer a digestão para um russo. E Brodsky explora bem o sistema digestivo desse povo, do qual ele foi expulso. Esse livrinho é de uma magnitude ímpar. Fazia tempo que eu não grifava tantos excertos. Mas também, um poeta que valoriza a própria língua acima de qualquer abstração política e que realiza a apoteose de nomes já consagrados, como o Auden e o Ossip Mandelstam, tem tudo para ganhar meu coração. Aqui temos uma palestra que ele concedeu e o seu discurso de aceitação do prêmio Nobel (1987). A angústia do exílio de um escritor, devidamente separada dos lamentos físicos de outros migrantes, cria o caminho para filosofias belíssimas sobre a função do poeta enquanto indivíduo incumbido da tarefa quase divina de levar adiante uma língua em todos os seus pormenores. Não se trata de fazer uma literatura com a linguagem do povo, mas dar a consciência ao povo da riqueza da própria linguagem. Reduzir, diz Brodsky, o ofício do escritor à língua como ela se mostra no mundo social é ancilosá-la ao presente, ignorando o passado (cultura) e fechando as interpretações do mundo futuro. Brodsky pertence a uma geração de poetas esmagados pela burocracia patética da União Soviética e tem a consciência de ser antes uma pessoa que fala e vive russo do que um soviético. Seguindo nessa temática, recomendo o filme Dovlatov, lançado há pouco e que trata de um amigo escritor do Brodsky. Lá há um panorama fidedigno do significado da literatura praquele povo e o que era ser rebelde ao sistema. Com outra visão, há também o Limonov. Mas esse é outros quinhentos.

Lido: "A dama e o cachorrinho" Entrei nesse livro do Anton Checkhov, sem saber absolutamente nada. A única coisa que eu sabia era que queria ler o conto "A dama e o cachorrinho" ( o livro tem vários outros, mas não houve interrese algum deles por mim ). Fiquei interessada pelo conto depois de ver o filme "o leitor" (assistam❤ é um dos meus favoritos) . .O conto me surpreendeu. Eu achei que seria uma história de amor muito intensa. É, também. Porém, somos arrebatados por coisas simples do cotidiano que fazem refletir muito nas nossas escolhas. Acompanhamos um casal, que por acaso se conhecem em uma praça. A mulher com seu cachorro e um homem talves, solitário? Ambos solitários? Os dois possuí relacionamentos que são completamentes infelizes, e derrepente vêem a oportunidade de uma amor de verdade. . . Quando terminei de ler o conto, achei que não tinha gostado. Mas depois de pesquisar mais sobre o autor, e como ele escreve, entendi oque ele quis passar. Ele nos da uma história crua sobre amor, traição, cotidiano.. com reflexões sobre as escolhas que fazemos.. Ele me contou nessa história, de como as pessoas vão pelos momentos, querendo preencher algo com urgência e sendo infelizes com isso. . . Esse conto é o meu primeiro contado com literatura russa. A escrita é bem diferente. Está recomendado numa manhã/tarde com sua bebida favorita, você lê rápido e pensa na vida depois. 3,3/5

Mais dois livros concluídos em 2018: Homens Interessantes e Outras Histórias, do genial Nikolai Leskov, e Duas Narrativas Fantásticas, do visceral Fiódor Dostoiévski. Síntese: literatura russa é muito f*#@! Dê fim ao preconceito (ou ao medo) e vá ler um russo! | #livro #livros #homensinteressantes #nikolaileskov #leskov #duasnarrativasfantásticas #adocil #osonhodeumhomemridículo #fiodordostoievski #dostoievski #literatura #literaturarussa

"Comecei a ler com avidez e, pouco depois, a leitura absorveu-me completamente. Todas as minhas novas necessidades, todos os anseios recentes, todos os impulsos ainda imprecisos da minha adolescência, (...) tudo foi de repente desviado para outra solução; era como se, plenamente satisfeito com o novo alimento, tudo isso tivesse encontrado um caminho certo. Em pouco tempo, meu coração e meu cérebro ficaram de tal modo deslumbrados, e a minha imaginação desenvolveu-se com tal amplitude, que eu parecia ter esquecido todo o mundo que até então me rodeava". Niétotchka Niezvânova, Fiódor Dostoiévski. 😍💚📚💙📖🤓 . . . #euamoler #lidolendo #literatura #dostoievski #dostôesselindo #dostoievskiemordemcronologica #leia #leitura #literaturarussa

@Regrann from @literaturanews - Fim de dia frio, momento de terminar a leitura do livro que vamos discutir no @_leiamulheres no dia 20 às 19h30min no Café do Ponto do Shopping Metrópole aqui em São Bernardo do Campo. #leiamulheres #liudmilapetruchévskaia #amoler #bibliofilia #bookaholic #literaturacontemporânea #literaturarussa - #regrann

Fim de dia frio, momento de terminar a leitura do livro que vamos discutir no @_leiamulheres no dia 20 às 19h30min no Café do Ponto do Shopping Metrópole aqui em São Bernardo do Campo. #leiamulheres #liudmilapetruchévskaia #amoler #bibliofilia #bookaholic #literaturacontemporânea #literaturarussa

Ivan Turguêniev era filho de mãe rica e de pai espertinho. Nunca soube o que eram dificuldades financeiras, mas, assim como outros de seus contemporâneos, dedicou-se à crítica ao sistema, principalmente ao triste quadro dos camponeses, tratados como escravos. Em Primeiro Amor ele deixa de lado (não totalmente, claro) seus textos de forte crítica social para dar voz a um menino de 16 anos, desesperadamente apaixonado pela primeira vez. Segundo Rubens Figueiredo, a história é autobiográfica, tendo Turguêniev passado pelos mesmos perrengues que seu personagem. A dura e feia realidade se choca com as ilusões e idealizações românticas do menino Vladímir Petróvich. Ele viaja do céu ao inferno, como acontece com a maioria dos adolescentes e suas paixões avassaladoras e supostamente definitivas. E mais não digo, porque tudo acontece em menos de 100 páginas. Piscou...spoiler! 😲 Essa foi minha segunda leitura para o 10 Livros para Conhecer a Rússia, listinha publicada no blog da Companhia das Letras, no começo desse ano.  Pra quem ficar curioso, a postagem continua disponível no blog (não dá pra colocar o link aqui...humpf!) E é isso, mas um russinho pra conta de 2018 🇷🇺 #10livrosparaconheceraRússia  #literaturarussa #blogdacompanhia  #ciadasletras #companhiadasletras  #leituras2018  #livros #amolivros  #literatura  #leitura  #leitores  #vidadeleitor #leiamais  #livroseleituras  #euamoler  #instalivros  #desafiosliterarios #projetosdeleitura #projetosliterarios

Vamos conhecer um pouco mais sobre a literatura de cada país que está participando da Copa do Mundo? E que tal começar pelo país sede. 🇷🇺🇷🇺🇷🇺🇷🇺🇷🇺🇷🇺🇷🇺🇷🇺 As obras produzidas por escritores russos podem ser colocadas entre as mais influentes e importantes do mundo. Considera-se como fundador da literatura da Rússia o autor Alexander Pushkin. Porém, somente durante o século XIX é que os escritores russos conseguem alcançar posição de destaque em escala mundial, época dos grandes Leo Tolstoi e Dostoievski. Com a formação da União Soviética, em 1917, as produções começam a passar por censura do poder comunista, sendo que muitos escritores acabaram sendo exilados ou forçados a trabalhar em Gulag, sistema soviético de trabalho forçado. Na Era Pós-Soviética, com o fim da censura, a literatura da Rússia buscou se reinventar, fazendo surgir novos nomes. O país foi agraciado 5 vezes com Nobel de Literatura, dado aos escritores: Ivan Bunin (1933), Mikhail Aleksandovitch Cholokhov (1960), Alexander Soljenítsin (1970), Joseph Brodsky (1987). Em 1957, Boris Leonidovitch Pasternak foi forçado pelo governo a recusar o prêmio em função das duras críticas que o seu livro Doutor Givago fazia ao regime comunista, a obra somente foi publicada Na Rússia em 1987. Você conhece sobre literatura Russa? Divida com a gente! ❤️ #athenalivraria #copadomundoliterária #copadomundo #literaturarussa

Noites Brancas é o livro que mais se aproxima do romantismo, das obras de Dostoievski. Durante as noites brancas do verão de São Petersburgo dois jovens se encontram numa ponte sobre o rio Nieva, onde se cruzam dois destinos.

📚🌹 "Noites Brancas" minhas duas edições do meu livro preferido de Dostoiévski. ❤ #books #livros #euamoler #noitesbrancas #literaturarussa #fiódordostoiévski

Quais eram as perspectivas da mulher na Rússia, na segunda metade do século XIX? Como era retratada a mulher na literatura russa naquela época? E, sobretudo, como era essa representação, elaborada por uma escritora? Em sua novela "A moça do internato" (1861), Nadiêjda Khvoschínskaia traça uma imagem histórico-sócio-cultural da Rússia de então, que passava por mudanças significativas, recriando em sua narrativa a tensão entre o espaço delimitado pela sociedade patriarcal e suas convenções para a mulher - a educação (formal ou doméstica) para se submeter, a casa ou o campo, o casamento - e a promissora transformação da personagem feminina, tanto a ficcional e sua parte na História, rumo à insurgência em busca da emancipação. Em um contexto em que a imposta (pre)dominância masculina na sociedade e na literatura cerceava mulheres de se sobressaírem, e, mesmo entre os "progressistas", criavam-se verdadeiros tratados sobre a mulher sem lhe dar espaço real, enquanto ela pensava, escrevia, criava, lutava, silenciada, Khvoschínskaia antecipa a crítica social em relação à subjugação das mulheres e expõe a possibilidade da mulher que transpõe a ordem vigente e desafia a sociedade patriarcal, construindo, antes de autores russos consagrados, uma personagem que, acima de tudo, traz o potencial de transformação dentro de si. Tradução direta do russo do @dodhofonseca81 📷 foto @mary_poulain #literaturarussa

Dostoiévski e a arte de desafiar a pensar, repensar e continuar repensando sempre. 💙📚

Crime e castigo - Dostoiévski

●as belas ilustrações dos livros . Ilustrador: Oswaldo Goeldi. Ilustração: capa do livro "Niétotchka Niezvânova", de Fiódor Dostoiévski (São Paulo: Editora 34, 2009). . #literatufilia #asbelasilustraçõesdoslivros #oswaldogoeldi #desenhoabicodepena #literaturarussa #dostoievski #nietotchkaniezvanova #editora34 #colecaoleste #dostôesselindo #bookstagram #literatura #ler #livro #livros #ilustrações

O capote - Nikolai Gógol

Cheia de leituras obrigatórias para fazer, mas o projeto #dostôesselindo não pode parar! Então hoje estou iniciando a leitura desse romance que já na resenha da editora me deixou super ansiosa para ler. . [Resenha da editora] Niétotchka Niezvânova (1849) é um romance único dentro da obra de Dostoiévski e inovador em sua época por prenunciar algumas descobertas da psicanálise. Como observou André Gide, o autor russo buscava mostrar a "gênese dos sentimentos" no momento da eclosão de seus aspectos mais contraditórios.  O projeto inicial de Dostoiévski era escrever um grande romance que descrevesse a evolução de uma personagem desde a infância até a maturidade. ____ #literarure #literaturarussa #dostôesselindo #dostoievski #booklovers #bookstagram #instabooks #book #viciadosemlivros